dezembro 04, 2007

e porque não hei-de eu molhar o pincel



(o natal é uma época tão boa como outra qualquer para molhar o pincel)


13 comentários:

Armindo G disse...

Que grandes pinceladas à custa do presépio! Mas já há por aí quem não encontre o pincel e ao que sei, as telas também já estão murchas.
Olha vamos à net e arranja-se um presépio virtual e pintamos à mão.
Tenho dito.
Armindo G.

Francisco L disse...

gosto mais do cheiro da tinta que,do fleumático silencio da tela de raios catódicos;
e tu, que és o ultimo dos revolucionários, devias saber que não há nada como uma paleta viva para produzir um delicado e ferino dégradé

Vieira Calado disse...

Belo post!
É disso que a malta precisa.
Um abraço

efe disse...

Vá, pincela aí com fartura. E a cores, que é mais apropriado à época.
;)

Armindo G disse...

Adivinha.
Pinga pinga não é leite
e tem barbas no cacete ?

Armindo G disse...

Poeta,
é melhor pincel e tinta,
do que moscas.

Luigi disse...

Vai molhando o pincel de vez em quando, se não desabituas-te!...

Francisco L disse...

Luigi, sê bem-vindo a esta “floresta de espelhos”, não há nada melhor no mundo que espalhar a tinta.

Vieira Calado disse...

Olá, amigão!
É só para te desejar (e aos teus)
um Óptimo Natal.
Eu vou a caminho da Guarda.

Um abraço.

Luigi disse...

Um bom Natal para essa cambada toda que habitualmente visita este utópico e desalmado.

Luigi disse...

As noites são belas quando nos sentimos livres, soltos, para se fazer o que nos dá na real gana!... Viva a liberdade!.... O nosso imaginário é sempre complementarizado, quando encontramos prazer!?... Zé Francisco, hajam amigos!...

Francisco L disse...

Um Bom Natal para todos, comam e pintem que nem uns Desalmados

/:)

NETMITO disse...

Escuta o som mais puro da tua voz...
Boas festas:)